Empresa de diretor de Senhor dos Anéis será comprada pela Unity

Com o avanço da tecnologia, muitos jogos AAA de grande orçamento moveram-se na direção de se tornarem experiências cinematográficas. A linha de franquias modernas da Naughty Dog é geralmente um exemplo disso, com títulos como Uncharted 4 descritos mais como filmes interativos do que jogos tradicionais. A tecnologia usada no desenvolvimento de jogos também afetou outros aspectos da indústria do entretenimento, e a Unity anunciando sua aquisição da Weta Digital é aparentemente o auge desse impulso convergente.

A Weta Digital é um estúdio de efeitos visuais baseado na Nova Zelândia que foi liderado por Peter Jackson em 1993 para ajudar na trilogia O Senhor dos Anéis. Desde então, trabalhou em inúmeros filmes, programas de televisão e muito mais, com reconhecimentos do Oscar, da Sociedade de Efeitos Visuais, do Annie Awards e do BAFTA. Em seu anúncio de hoje (10), a Unity aponta para as ferramentas criadas pela Weta Digital ajudando com projetos como Avatar, Game of Thrones e The Suicide Squad, e faz sentido da Unity querer essas ferramentas para ajudar nos desenvolvimentos estabelecidos e independentes daqui para a frente – mesmo por um valor relatado de US $ 1,625 bilhão, de acordo com a Variety.

O que a Unity ganha com a aquisição da Weta Digital

O post de anúncio da Unity informou que seu “acordo definitivo” para adquirir a Weta Digital inclui suas ferramentas artísticas, pipeline principal, propriedade intelectual e talento de engenharia. Entre as 16 ferramentas listadas como um “vislumbre” do que está “permitindo que grupos de artistas colaborem na busca de sua visão” estão a ferramenta de simulação de física Loki, a ferramenta de renderização de rastreamento de caminhos Manuka, a ferramenta de simulação de bioma e vegetação procedural Totara e mais aprofundamento em vários aspectos dos efeitos visuais e produção.

Além disso, a Unity também informou que uma parte “empolgante” de toda essa aquisição é a biblioteca de ativos da Weta com ambientes pré-existentes, plantas e animais, texturas e muito mais. A Unity também espera tornar essas ferramentas acessíveis por meio da nuvem, para que os artistas possam integrá-las a quaisquer fluxos de trabalho que já utilizem.

Uma das maiores ideias postuladas é que aplicar o talento e as ferramentas do Weta no Unity pode ajudá-lo a “desbloquear todo o potencial do metaverso“. Seguindo a decisão do Facebook de se renomear Meta como um reflexo de seu impulso em direção aos espaços colaborativos totalmente digitais como um “metaverso”, faz sentido que a Unity queira um pedaço desse bolo. O post de hoje estipula que a Unity, assim como o Maya e Houdini, precisam de ferramentas facilmente acessíveis para criar “conteúdo 3D rico, interativo e atraente” não apenas para jogos e filmes, mas também para outros espaços interativos.

O que isso tudo significa para o desenvolvimento de novos jogos?

Os motores de videogame já são bastante poderosos e acessíveis o suficiente para serem usados ​​em outras mídias. Por exemplo, The Mandalorian, da Disney, é famoso por usar o Unreal Engine entre outras ferramentas de efeitos visuais para criar ambientes que seriam exibidos para os atores no set por meio de enormes telas de LED. A pré-visualização como essa potencialmente contorna alguns problemas com a produção após o final das filmagens e oferece um ambiente mais envolvente para os artistas, em vez de conversar com bolas de tênis na frente de uma tela verde.

O Unity, em particular, é um motor que remonta a 2005 e, nessa época, estabeleceu as bases para inúmeros jogos. De potências AAA como Hearthstone a queridinhos indie como Hollow Knight, a Unity pode ser encontrada em todo o setor. Vazamentos recentes sugerem que Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl da ILCA, remakes de jogos amados sob o guarda-chuva da Nintendo, foram criados usando o Unity em vez do motor para Sword and Shield.

Não é difícil ver onde qualquer um desses jogos se beneficiaria com o tipo de ferramentas de renderização e geração de conteúdo criadas pela Weta Digital. A empresa participou da criação de efeitos visuais fotorrealistas para filmes tão grandes como Avengers: Infinity War, e revolucionou as tecnologias usadas em personagens premiados como César nos filmes modernos do Planeta dos Macacos – tanto para captura de movimento quanto para simulação de pele, entre outros detalhes.

Não só abrir essas ferramentas com um dos maiores motores de desenvolvimento beneficiaria a indústria de jogos, mas The Mandalorian mostra como ferramentas fortes de criação de jogos como o Unity também podem beneficiar o entretenimento em geral.

Via: Variety/Game Rant

Alan Uemura , Observatório de Games.

Fonte: Observatório de Games.

qua, 10 nov 2021 14:50:46 -0300

No comments

Deixe uma resposta

Publicidade

Publicidade

Jogos!

Buscador – Encontre tudo que precisa na Internet!