EUA já possui Força e Comando Espacial no melhor estilo Halo

À medida que a nova corrida espacial ganha alta velocidade, as principais autoridades militares dos EUA acreditam que a Rússia e a China estão se movendo em direção ao armamento espacial. Altos oficiais da Força Espacial, Força Aérea, Marinha e Fuzileiros Navais dizem que estão “se preparando para a guerra espacial”. A Força Espacial e o Comando Espacial são alguns dos mais novos grupos de combate nas Forças Armadas dos EUA e, se esses oficiais militares estiverem corretos, eles foram criados na hora certa.

No ano passado, os EUA e a Grã-Bretanha acusaram a Rússia de lançar e testar uma nova arma anti-satélite, uma afirmação que a Rússia negou. Oficiais de defesa dos EUA disseram que a Rússia lançou um satélite que esconde um “projétil” menor que foi implantado no espaço e passou muito perto de um satélite dos EUA. Incidentes semelhantes ocorreram nos últimos anos, levando à criação da Força Espacial dos EUA. À medida que os programas militares espaciais recebem financiamento e promovem desenvolvimentos, eles elogiam empresas como a SpaceX, Boeing, Lockheed Martin, Blue Origin e outras.

O General John Raymond, Chefe da Força Espacial dos EUA, disse recentemente ao Nikkei Asia que um “espectro completo de ameaças” da China precisa ser respondido pelos EUA e seus aliados. O General Raymon acrescentou que a Rússia também está participando do armamento do espaço. O secretário da Força Aérea, Frank Kendall, falando recentemente no 36º Simpósio Espacial em Colorado Springs concordou com o General, dizendo: “A China se moveu agressivamente para armar o espaço, e isso levou a uma mudança na estratégia militar dos Estados Unidos há vários anos”.

Oficiais militares dos EUA acreditam que as novas armas espaciais, construídas ou em desenvolvimento pela China e Rússia incluem GPS e bloqueadores de comunicação, sistemas de mísseis, sistemas de armas a laser no espaço, satélites equipados com braços robóticos e satélites “kamikaze”. “Nossos adversários também têm estado ocupados. Nos últimos dois anos, a China e a Rússia continuaram a construir todo um espectro de ameaças ”, disse o secretário da Força Aérea, Frank Kendall.

O Espaço é o local onde iremos lutar

“O espaço é absolutamente um lugar onde a Marinha vai lutar”, disse o contra-almirante Gene Price, vice-comandante das forças navais de informação. A Marinha está atualizando seu sistema de defesa antimísseis para aumentar as capacidades espaciais, considerando armas contra-espaciais e futuros oficiais espaciais marítimos. A Spacecom “amadureceu e se tornou uma força de combate, preparada para enfrentar ameaças que vão da competição ao conflito no espaço”, disse o comandante do Exército da Spacecom, general James Dickinson.

E caso esteja achando que isso tudo lembra um roteiro de Halo, com suas intricadas situações políticas e guerras espaciais, ou até algum outro jogo de ficção, a realidade ainda é pior como podemos conferir na sequência.

Como funciona essa “luta espacial”

A rotina diária dentro do controle de missão da Força Espacial no Colorado inclui a operação do Sistema de Alerta de Mísseis. A rede de satélites rastreia o planeta 24 horas por dia, 7 dias por semana, em busca de lançamentos de mísseis e detonações nucleares e envia alertas instantâneos. O sistema é um dos milhares de sistemas de satélite que os militares protegem. Não existe um setor moderno no mundo hoje que dependa da tecnologia espacial. Reino Unido, França, Austrália, Japão, Alemanha e outros têm espaço elevado em suas forças armadas. A missão dos militares dos EUA é “deter um conflito no espaço. E se a dissuasão falhar, derrotaremos a agressão, entregando poder de combate espacial para a força combinada e combinada”, disse o general Raymond.

Via: Screen Rant/Nikkei/U.S. Space Force

Alan Uemura , Observatório de Games.

Fonte: Observatório de Games.

qua, 17 nov 2021 10:06:44 -0300

No comments

Deixe uma resposta

Publicidade

Publicidade

Jogos!

Buscador – Encontre tudo que precisa na Internet!