Um vendedor de Pokémon foi preso no Japão após vender arquivos hackeados por até R$460,00

Observatório de Games.

Um homem de 36 anos foi preso no Japão em 9 de abril por vender Pokémon raros hackeados em Pokémon Scarlet e Violet. Esses Pokémon foram vendidos entre dezembro de 2022 e março de 2023, com preços em torno de 13 mil ienes, equivalente a cerca de R$431,55.

Ele foi flagrado pela polícia japonesa vendendo diretamente arquivos de dados de Pokémon salvos hackeados, oferecendo até seis Pokémon raros por cerca de R$152,59. Desde sua prisão, o réu confessou o crime, alegando fazê-lo para ganhar a vida. A investigação em curso sugere que ele pode ter ganho milhões de ienes com a venda de Pokémon hackeados.

Surpreendentemente, no Japão, hackear e editar dados de arquivos salvos é uma violação da Lei de Prevenção da Concorrência Desleal, promulgada em 2019. Aqueles considerados culpados podem enfrentar até cinco anos de prisão ou multas superiores a cinco milhões de ienes, uma punição muito severa em comparação com os ganhos supostos do réu.

Embora a venda de dados salvos hackeados seja ilegal no Japão, não é ilegal em países estrangeiros como os Estados Unidos e o Reino Unido. No entanto, tanto a The Pokémon Company quanto a desenvolvedora Game Freak não apoiam essa prática, mostrando desaprovação em relação à venda de Pokémon hackeados.

Victor Danesi , Observatório de Games.

Fonte: Observatório de Games.

qui, 11 abr 2024 11:35:00 -0300

Jogue agora!

Veja as últimas noticias!

10209

Publicidade