Call of Duty: Documento mal redigido revela quanto PlayStation já lucrou com o jogo

Observatório de Games.

A Sony pode ter revelado acidentalmente quanta receita o Call of Duty canaliza para o PlayStation em um documento mal editado. Os detalhes vieram à tona em meio às audiências FTC v. Microsoft em andamento, onde a Sony tem falado sobre as ações da Microsoft, incluindo a exclusividade Starfield e a assinatura do Xbox Game Pass.

Agora, uma nova revelação sugere o quanto Call of Duty representa financeiramente para a plataforma PlayStation. Nos últimos meses, a franquia da Activision Blizzard ocupou o centro das atenções no processo contra a aquisição pendente de US$ 68,7 bilhões da Microsoft. A Sony expressou repetidamente sua oposição à ideia de a Microsoft possuir Call of Duty, com reclamações que vão desde a degradação da qualidade de futuros títulos de Call of Duty no PlayStation até a potencial exclusividade para o Xbox inteiramente.

No entanto, mesmo que a Microsoft tenha oferecido compromissos verbais e escritos de que franquias como Call of Duty seriam enviadas para outras plataformas como o PlayStation em um futuro próximo, as preocupações da Sony não parecem ter diminuído. Agora, durante o caso FTC v. Microsoft, a Sony pode ter fornecido involuntariamente um explicador do motivo pelo qual a empresa continua levantando preocupações sobre o acordo com a Activision Blizzard.

Até agora, as audiências FTC v. Microsoft em andamento revelaram, de acordo com uma das cartas de Jim Ryan, que Call of Duty aparentemente gerou mais de $ 800 milhões em receita para o PlayStation apenas nos Estados Unidos e até $ 1,5 bilhão em todo o mundo, em 2021. A carta também sugere que os jogadores de Call of Duty no Playstation gastaram uma média de $ 15,9 bilhões anualmente de 2019 a 2021, contabilizando hardware, acessórios, assinaturas, jogos e outros serviços do PlayStation.

No entanto, não deveria ser surpreendente, considerando que cerca de 1 milhão de jogadores do PlayStation jogam nada além de Call of Duty, de acordo com a carta mal redigida de Jim Ryan. Claro, não foi apenas a Sony que teve problemas graças à série Activision.

De acordo com um e-mail enviado ao chefe do Xbox, Phil Spencer, a Bethesda levantou preocupações depois que a Microsoft prometeu manter Call of Duty no PlayStation, onde o vice-presidente sênior de marketing global da Bethesda, Pete Hines, perguntou sobre a lógica da Microsoft em manter a exclusividade e realizar projetos multiplataforma.

A questão foi levantada após a aquisição da Zenimax Media pela Microsoft e sua decisão de retirar alguns dos projetos da Bethesda da exclusividade do PlayStation para Xbox e PC.

Via: Game Rant/The Verge

Alan Uemura , Observatório de Games.

Fonte: Observatório de Games.

qui, 29 jun 2023 10:00:00 -0300

Publicidade

Jogue agora!

Veja as últimas noticias!

10466

Publicidade