Sonic 3, um dos jogos mais aguardados da época, completa hoje 30 anos

Observatório de Games.

Para muitas crianças, 1994 foi uma época descontraída. A internet não era grande coisa. Os telefones celulares eram uma novidade. Os livros Goosebumps eram onipresentes. Um certo ouriço veloz era amado por todos. Isso foi, pelo menos, até ele ser forçado a enfrentar seu maior inimigo: um barril giratório vermelho e branco.

Hoje (2 de fevereiro de 2024) marca o 30º aniversário do lançamento de Sonic the Hedgehog 3 no Sega Genesis – uma data que sem dúvida marca o auge da popularidade de Sonic. Anúncios de TV, brinquedos do Happy Meal, outdoors e lojas de jogos em todo o mundo estavam focados nas delícias indutoras de adrenalina do borrão azul e seu amigo de cauda dupla, e por um bom motivo: Sonic 3 foi o jogo mais esperado por meses, se não em anos!

Hoje pode parecer até piada afirmar algo assim, mas é uma realidade. E se você acha que GTA 6 é o título mais aguardado de todos os tempos, é porque não viveu o ano de 1994. O início ainda dos anos 1990 era uma época de mudanças e complicado para conseguir informações. Aqui nada de internet, as lojas e bancas ainda eram o melhor local para se comprar revistas para saber sobre as novidades.

E essas novidades – quando apareciam nas revistas -, já eram velhas. Os jornalistas da época – como esse que escreve -, precisavam ir até lugares especializados, pegar em inglês, japonês, com outras pessoas, traduzir, escrever, diagramar, fechar toda a pauta da revista – ou fanzine que era feito por fãs -, levar para a gráfica, distribuir para as bancas e, ufa!, finalmente o fã poder ler.

Sendo assim, toda essa maratona, era custosa e precisava de muito amor e carinho. Mesmo assim, ainda acontecia da informação, já velha, também estar errada ou o jogo já estar sendo lançado. Por esses motivos, a caça por informações, principalmente sobre o novo Sonic, era algo maravilhoso e que os fãs não viam a hora de saber mais sobre o assunto.

O desenvolvimento de Sonic 3

O desenvolvimento do terceiro jogo de Sonic não era segredo para ninguém. Naquele tempo, essas coisas não eram necessárias. Praticamente informar sobre a chegada de um novo jogo, era algo totalmente necessário, já que era demorado conseguir informações e fazer propaganda mundial sobre o seu produto.

O presidente do Sega Channel, Stan Thomas, posando com o recém-lançado ‘Sonic the Hedgehog 3’ em 1994. Imagem: GETTY IMAGES

A Sonic Team começou a trabalhar nele logo após o lançamento do incrível Sonic the Hedgehog 2 em 1992. O estúdio, liderado pelo lendário Yuji Naka, colaborou com o Sega Technical Institute, com sede nos EUA, mas rapidamente percebeu que o escopo do jogo era muito grande para um cartucho. Sim, nada de CD, DVD ou fazer download como hoje.

Toda a equipe foi dividida em duas: uma para criar Sonic 3 e outra para desenvolver Sonic & Knuckles, que introduziria literalmente uma tecnologia lock-on revolucionária. Sonic the Hedgehog 3 desfrutou de mais de dez meses de estrelato solitário antes do lançamento do principal pacote de expansão do Mega Drive em outubro.

Ele também rompeu com as tradições da época, chegando à América do Norte antes de seus lançamentos na Europa, no Japão e resto do mundo, que foram lançados em 24 de fevereiro e 27 de maio, respectivamente.

Sonic 3 apresenta: Knuckles the Echidna

O jogo apresentou Knuckles the Echidna, o belicoso mas crédulo amigo da floresta que foi enganado pelo Dr. Robotnik/Eggman a pensar que Sonic era o vilão, então ele defendeu as Esmeraldas do Caos dele, apesar de ter muito mais em comum com Sonic. (Alerta de spoiler: eles se tornam amigos no final.)

Sonic 3 é melhor, mas ainda é mais do mesmo

Para muitas pessoas, Sonic the Hedgehog 3 era “mais do mesmo, mas melhor”. Dependendo de para quem você pergunta hoje em dia (inclusive nós da redação), não foi um avanço definitivo em relação ao Sonic 2. Ele tinha apenas seis zonas – prazos apertados forçaram o Sonic Team a cortar níveis ou transferi-los para a equipe Sonic & Knuckles.

Michael Jackson realmente compôs uma música para Sonic 3?

Muitos níveis não foram tão memoráveis quanto os anteriores. A música não era tão consistentemente brilhante, apesar de ter sido parcialmente composta por Michael Jackson, cuja tão comentada participação só foi confirmada em 2022.

Os gráficos de Sonic 3 impressioram

No entanto, Sonic 3 foi um tour de force gráfico para o Genesis, ao mesmo tempo que incorporava novas tecnologias de escudo, inimigos, pontos de interação e estágios bônus icônicos que foram inovadores para a época.

Você foi atacado por uma bomba incendiária na Angel Island Zone, levado por seções vertiginosas com pouca ou nenhuma desaceleração na Hydrocity Zone e forçado a girar as escadas emergentes na Marble Garden Zone, antes de enfrentar o Dr. Robotnik nos céus – algo que parecia realmente inovador, mesmo que tenha sido provavelmente a luta final mais frustrante de toda a série Sonic de 16 bits.

A luta contra o chefe da Marble Garden foi outro ponto de discórdia para muitos jogadores de ‘Sonic 3’. Imagem: SEGA

Chegamos ao barril… que coisa é essa?

No entanto, com três atos concluídos, você foi lançado no mundo turbo-Casino Night de Carnival Night Zone, onde a pior experiência estava por vir: o Barrel of Doom. A maioria das pessoas não tinha experimentado o Time Over em um jogo Sonic the Hedgehog até aquele momento.

Graças à falta de Internet, à cobertura irregular das revistas de jogos da época – descrito acima -, ao custo proibitivo das linhas de apoio e ao boca-a-boca restrito a outras crianças que provavelmente estavam presas no mesmo ponto, muitos simplesmente desistiram de passar por ela. Sim, naquele tempo não tinha detonado no YouTube, era na raça!

Esta forma você também não poderia evitar. A maioria das zonas oferecia múltiplas rotas até o final, mas o Carnival Night Zone Act 2 atrapalhou você no mesmo barril. Uma porta caiu atrás de você e você só teve que entrar e tentar a sorte.

Você pulou e ele quicou. OK, você pensou, só preciso cronometrar meus saltos para que ele se mova de forma mais drástica. Mas não. Na verdade, seus saltos pareciam lamentáveis, pois você se viu preso no barril giratório, girando como uma refeição de micro-ondas enquanto a música inspirada em “Entrance of the Gladiators” o atormentava.

Não houve dicas, nenhum sinal brilhante para lhe dar uma pista, ou qualquer coisa comparável em outras partes do jogo ou série. Era só você e um obstáculo teimoso, colorido e rotundo que não tinha o direito de estar ali.

Foi tão irritante que muitos jogadores usaram códigos de trapaça para ignorá-lo. Você pode apostar que milhares de crianças nunca praticaram snowboard na IceCap Zone ou enfrentaram a luta final do Robotnik na Launch Base Zone, porque encontraram aquele obstáculo intransponível.

Bastou que os jogadores pressionassem o direcional para cima e para baixo para mover a maldita coisa. Não foi inovador, mas praticamente parecia uma cirurgia cerebral para jogadores que realmente usaram essas informações para olhar para cima e para baixo nos níveis anteriores – funcionalidade que era apenas um extra divertido e nunca uma necessidade. Mesmo assim, não foi simples – você ainda tinha que cronometrar cuidadosamente o seu salto.

Mas apesar de todos os seus defeitos, o Barrel of Doom é provavelmente a coisa mais icônica de todo o jogo: um mini-chefe em si mesmo, e algo que mais uma vez empurrou a mecânica do jogo, mesmo que apenas um pouco – um exercício em pensamento crítico para jogadores jovens e algo que, quando derrotado, parecia divino, mesmo que você provavelmente ficasse sem tempo durante a verdadeira luta contra o chefe que se seguiu.

Apesar do Barrel of Doom, mas também por causa dele, Sonic the Hedgehog 3 foi um triunfo. Muitas pessoas dizem que o jogo estava no seu melhor quando combinado com Sonic & Knuckles, já que era a versão verdadeira originalmente imaginada pelo Sonic Team há mais de 30 anos. Concordo em discordar, mas sou um pouco purista.

No entanto, sempre farei exceção a alguém que diz que passou pelo “maledito” Barril na primeira tentativa. Eu preferiria acreditar que alguém me dissesse que tinha uma cópia do FIFA International Soccer com todos os nomes reais dos jogadores (em vez de Hans van Smeiter, Janco Tianno e Brian Plank) ou que havia um código de trapaça para dar a Link um helicóptero em Ocarina. Podemos ter diferentes coisas favoritas, mas ninguém gosta de contos de pescadores.

Via: SEGA/Forbes/Museu do Videogame/Thunder Wave/Reddit/X

Alan Uemura , Observatório de Games.

Fonte: Observatório de Games.

sex, 02 fev 2024 10:55:04 -0300

Jogue agora!

Veja as últimas noticias!

9815

Publicidade